Ponto de Fuga

“Memórias, imagens, histórias reais e fictícias se entrelaçam como uma colcha de movimentos e sons.”

Ponto de Fuga foi criado em 2008 com o apoio do PAC – Programa de Ação Cultural do Estado de São Paulo e dá continuidade ao projeto Puntear-pesquisa, que o grupo realizou durante 2007 com o apoio do Prêmio Funarte de Dança Klauss Vianna, na qual foi buscar material criativo e poético nas memórias dos seus integrantes.
Em Ponto de Fuga, cinco intérpretes–criadores se colocam em risco, no jogo da improvisação, na criação em tempo real. Os espaços, fatos, histórias, sons, temas, sensações, movimentos, leitmotive (motivos condutores), músicas e recordações vivenciados e emergidos durante a pesquisa são materiais de criação a serem reorganizados na cena, não como algo construído, mas como fragmentos, fundidos e repartidos, que vão sendo costurados, interligados, desconstruídos e transformados, no fluxo entre música e dança.
A dualidade entre passado e presente, entre o que permanece e o que é fugidio, está no espetáculo não apenas como tema, mas também como procedimento para desenvolver a cena. Numa escuta sensível e na composição, os intérpretes-criadores transformam e desconstroem os repertórios, passando por momentos de caos e indeterminação de onde pode surgir uma nova organização, em um fluxo constante de construção e desconstrução.
O grupo também se inspirou livremente nos contos “O Búfalo” de Clarice Lispector e “O Papel de Parede Amarelo” de Charlotte Perkins Gilman onde encontrou alguns dos temas do universo feminino emergidos durante a pesquisa das memórias pessoais.
Ponto de Fuga levanta questões sobre assuntos da contemporaneidade como ordem e caos, estabilidade e instabilidade, velocidade de transformação do ser e do ambiente que este habita. Ao olhar para o universo pessoal dos integrantes do grupo e ao vivenciar no corpo tais experiências subjetivas, os intérpretes fazem o micro revelar macro políticas.

Concepção: Cia. Damas em Trânsito e os Bucaneiros; Direção: Alex Ratton Sanchez; Direção musical: Débora Marcussi; Intérpretes-criadores: Carolina Callegaro, Ciro Godoy, Clara Gouvêa, Débora Marcussi e Laila Padovan.